Categorias
biologia imagens notas

O blastóporo dos embriões de briozoários

Este é um embrião de briozoário mostrando seu blastóporo. Estes animais são discretos porém quase onipresentes nos mares e lagos do mundo todo.

Embrião de briozoário durante gastrulação mostrando seu blastóporo.
Embrião do briozoário Membranipora membranacea sob microscopia confocal.

O que vemos é o DNA dentro do núcleo das células desse embrião. O degradê de cores indica se os núcleos estão mais perto (amarelo) ou mais longe (roxo) da câmera do microscópio.

As células embrionárias se arranjam em círculo e formam uma abertura na parte central que chamamos de blastóporo. Esta abertura, nos briozoários, vai se tornar a boca do animal quando o embrião crescer.

Você pode acompanhar o processo em vídeo ou conhecer mais detalhes no artigo.

E a nossa boca, vem de onde?

Categorias
biologia imagens notas

Larva de um braquiópode

Larva de um braquiópode Terebratalia transversa sob microscopia confocal.
Terebratalia transversa (Sowerby, 1846)
Óleo sobre tela
167.95 µm × 167.95 µm
Categorias
biologia imagens notas

Verme nemertíneo

Lrub adult
Indivíduo adulto da espécie Lineus ruber (Nemertea).
Categorias
notas biologia imagens

O verme pênis

Por sorte, o magnífico “verme pênis” não tem um pênis #priapulida

O verme pênis (Priapulida).
Espécime adulto do priapúlido Priapulus caudatus coletado na Suécia.
Categorias
biologia imagens notas

A superfície da larva pilídio

Larva pilídio de um nemertíneo
Cílios que recobrem a larva pilídio de um nemertíneo, um invertebrado marinho. Menção honrosa no Olympus BioScapes 2014.
Categorias
biologia notas

Verme nemertímeo colocando ovos

Lineus sp
Verme nemertíneo Lineus ruber colocando ovos.
Categorias
biologia imagens notas

Cara a cara com a larva plúteos

lossless page1 640px Frontal view of a pluteus larva.tif
Vista frontal de uma larva plúteos de equinodermo. Imagem composta por 122 fotos de planos focais diferentes.

Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Frontal_view_of_a_pluteus_larva.tif

Categorias
aplicativos artigos biologia imagens

Cifonauta, um banco de imagens para a biologia marinha

O Cifonauta foi inaugurado no dia 26 de setembro do ano passado (2011) e completa hoje 1 ano de vida pública. A ideia de um banco de imagens da vida marinha, no entanto, é mais antiga.

Primórdios da galeria de fotos sobre biologia marinha.

A documentação fotográfica faz parte de muitas abordagens de pesquisa e nos 30 anos de CEBIMar muito material foi coletado e estudado. Revistas especializadas e atividades de extensão do centro como cursos, folhetos e palestras são o destino comum deste conteúdo. No entanto, apenas uma pequena parte é publicada desta maneira, o restante acabava nunca vindo a público. São fotos e vídeos acumulados ao longo dos anos e que de certo modo representam a diversidade da vida marinha do litoral norte de São Paulo. Como aproveitar este potencial?

A ideia do Alvaro era criar um banco de imagens para divulgar os organismos documentados no CEBIMar. A primeira versão do site do CEBIMar, por exemplo, já continha uma galeria curada à mão contendo fotos de organismos marinhos separadas por classificação taxonômica.

galeria2008

A segunda versão do site também continha uma galeria ainda maior com cerca de 1000 fotos. Ainda assim, era pouco para o volume de material nos arquivos do CEBIMar. A oportunidade surgiu com um edital do CNPq e assim criamos o Cifonauta.

A ideia é simples. Um banco de imagens sobre biologia marinha abastecido pelos próprios pesquisadores do CEBIMar. Especialistas cujo conhecimento permite enriquecer as imagens com informações adicionais. No caso, nome da espécie, classificação taxonômica, habitat, estágio de vida, modo de vida, tamanho, geolocalização, técnica utilizada, etc. Estes dados permitem não só saber um pouco mais sobre o organismo, mas também filtrar o conteúdo do banco combinando marcadores.

Filtrando conteúdo através de marcadores no Cifonauta.

Outro diferencial do Cifonauta é que não colocamos apenas a melhor foto de cada ser. Uma foto é um recorte espacial e temporal e um organismo é um ser complexo tridimensional. Por isso, colocamos diversas imagens representativas de um mesmo organismo como no Chromodoris paulomarcioi. Todo o material sobre o vida de bolacha também está disponível na página da Clypeaster subdepressus.

Outro exemplo recente da utilidade do banco veio da iniciativa de pesquisadores da meiofauna do CEBIMar (organismos que vivem entre grãos de areia). Eles produziram um filme fantástico chamado Vida Entre Grãos e adicionaram todas as fotos e vídeos utilizados ao Cifonauta. São 538 fotos e 167 vídeos documentando a biologia destes organismos. Tardígrados, ácaros, nemertíneos, poliquetos, quinorrincos, gastrótricos, moluscos – entre outros! Não é qualquer pessoa que já viu um gastrótrico andando por aí… mas agora qualquer pessoa pode. E é esse o ideal do Cifonauta.

O Vida Entre Grãos para quem não viu:

Categorias
biologia notas

O herói do fim de semana

34696352 DSC 1819a

Doou grande quantidade de gametas para a ciência.

Categorias
biologia imagens notas

Larva plúteos

Larva plúteos da bolacha-do-mar Clypeaster subdepressus.
Larva plúteos da bolacha-do-mar Clypeaster subdepressus.