Categorias
artigos ciência

Nature Precedings

A Nature Publishing Group acaba de lançar um serviço bastante promissor chamado Nature Precedings. Nele você pode publicar artigos, carregar apresentações, posters apresentados em congressos antes de submeter o trabalho efetivamente para uma revista especializada. É o espaço que faltava para expor idéias mais ousadas que não tem espaço no formato das revistas convencionais.

Nature Precedings

Ao enviar seu trabalho ele é checado para verificar sua seriedade, mas não é revisado (peer-review). A idéia é que as revisões e discussões aconteçam no próprio site. E não precisa se preocupar em ter a sua idéia genial roubada por alguém, pois os artigos recebem uma identificação digital (DOI) que permite que sua citação. O único cuidado a ser tomado é verificar se a revista que você pretende publicar o seu trabalho vai aceitá-lo se você colocar no Nature Precedings. Como muitas revistas exigem conteúdo original nunca antes disponível, as revistas podem encasquetar se você já tiver colocado suas idéias ou mesmo o artigo pré-revisão online.

A Nature anda investindo pesado nas mídias digitais para dinamizar a ciência. Além de contar com um site repleto de feeds, blogs e ainda ter seu podcast, ela lançou recentemente o Connotea (um gerenciador de referências online), o Nature Network (o myspace/orkut para cientistas) e o Scintilla (um agregador para filtrar e personalizar conteúdo para cientistas). Muitas ferramentas novas para experimentar! Agora, até a comunidade científica aderir a estas novas tendências digitais ainda vai demorar…

Só pra não deixar em branco gostaria de falar da revista PLoS One, que foi especialmente desenhada para otimizar a discussão dos artigos lá publicados. É possível fazer comentários, anotações específicas, ou começar uma discussão sobre o artigo. Tudo isso para dinamizar a ciência! Eu acho um modelo muito bom, as pessoas só precisam se acostumar a fazer isso… Ah, e como o acesso aos artigos é aberto qualquer pessoa pode fazer comentários, não precisa ser doutor ou sabichão em algum assunto. Já comentei sobre a PLoS nos desertores para quem se interessar mais.

Estou testando esses serviços novos e algum eu volto a falar sobre eles!

Por Bruno C. Vellutini

Biólogo evolutivo interessado em embriões e larvas de invertebrados marinhos.

2 respostas em “Nature Precedings

Infelizmente os feeds da Nature não são livres e é preciso pagar para acessar o conteúdo. Na minha visão isso vai totalmente na contramão da filosofia por traz da utilização da internet como ferramenta para difundir o conhecimento ou, nas suas palavras, “dinamizar a ciência”. Especificamente, acho absurdo feeds que apontam para conteúdo pago, por que eu assinaria algo que não posso ler no meu leitor?

Infelizmente essa é a realidade atual mesmo. Você só tem acesso ao conteúdo dos artigos se acessar pela rede de uma instituição que assine a Nature ou se você pagar por artigo (caro=US$18,00). Transformar uma revista com acesso pago em uma revista que usa o modelo de acesso aberto deve ser bastante complicado para a Nature, já que provavelmente isso diminuiria muito a sua arrecadação por causa da grana preta vinda das assinaturas de 99,9% das instituições do mundo.

Atualmente é possível fazer o artigo que você publicou na Nature ter acesso aberto, mediante pagamento. Assim se o autor quis que seu artigo fosse aberto, a Nature garante o acesso deste artigo por qualquer pessoa. Então alguns artigos você consegue acessar o conteúdo.

Os autores estão mais e mais interessados em garantir o acesso aberto para seus artigos por razões que são óbvias, mas que só agora estão sendo testadas e comprovadas. O acesso aberto aumenta o número de citações dos artigos e aumenta o fator de impacto das revistas!

Eu acho que as mudanças estão acontecendo e essas coisas vão melhorar! Só não espere acessar nenhum conteúdo da Science, pq essa não vai mudar nunca e vai continuar com seu sistema arcaico de publicação…

Última: esqueci de comentar no tópico que o material publicado no Nature Precedings está todo licenciado sob a licença de atribuição da Creative Commons, ou seja, tudo livre para todos acessarem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *