Juaninhas…

Editei um vídeo. Veja o vídeo.

As fotos foram tiradas com uma câmera digital convencional apoiada numa caixa, sem tripé. O roteiro não existia, inventamos algo na hora. Sim, as joaninhas podem caminhar dando cambalhotas, todo biólogo já observou este fenômeno. 😉

Peguei as fotos e criei uma stack (pilha/seqüência de imagens) no ImageJ. Rodei o plugin StackReg, ferramenta para alinhar uma seqüência de fotos de acordo com o conteúdo da imagem. Foi este processamento que criou a dinâmica do enquadramento, como no momento que a grande abelha entra em cena.

As imagens foram convertidas para 8bit para eu conseguir processar tudo no meu computador… não tive memória para processar as fotos coloridas! Usei alguns filtros para criar os efeitinhos de contorno, também no ImageJ. Depois importei a seqüência para o Cinelerra e fiquei experimentando… acabou saindo isso!

Aqui vão algumas imagens capturadas do vídeo que você pode ver ouvindo a música que coloquei na trilha (Green Apple do Scrambled Mache)!

Green Apple

Primeiro teste com o seam-remover no ImageJ!

A pouquíssimo tempo coloquei um vídeo sobre um novo método de redimensionar imagens digitais sem causar grandes deformações na imagem, o Seam Carving for Content-Aware Image Resizing. Imaginei que iria demorar pra que um programa fosse lançado para uso comum, e… realmente ainda não foi lançado nada.

No entanto, Johannes Schindelin acabou de divulgar um plugin do ImageJ que utiliza o mesmo conceito de omitir linhas com menor energia, ao redimensionar imagens. Essa é uma primeira versão, e como ele mesmo disse, ainda está bem crua em termos de funcionalidades, mas o fato é que… funciona!

Vejam aqui o teste que eu fiz!

Original (1280 x 800 pixels):

screenshotnelas

Original mostrando linha vertical de menor energia na janela do ImageJ:

seam marked

Imagem somente com a largura reduzida de 1280 para 800 pixels usando o plugin seam-remover:

screenseamed

Imagem redimensionada pelos métodos convencionais (mesma redução de 1280 para 800 pixels):

screenscaled

Funciona, não?

Fora alguns artefatos na barra inferior o resto até que ficou bom! O jovem exemplar de bolacha do mar (bichinho da foto) saiu quase intacto da manipulação!

Línuquis

Há cinco meses atrás resolvi, finalmente, fazer algo que estava planejado faz tempo. Instalar uma distro do Linux (Ubuntu Edgy) no meu computador. Fiz um dual boot com o Windows XP, que já estava instalado na máquina, e passei horas a fio usando/aprendendo sobre o novo sistema. Desde então venho me divertindo bastante no mundo digital.

Como eu fico um tempo razoável no computador, o linux acabou virando assunto, do dia-a-dia, no bar, no trabalho, nas festas é linux pra cá, linux pra lá, blá, blá, blá… típico de um novo usuário. Como o mascote do linux é um pingüim, o Tux criado por Larry Ewing, acabou sobrando até para um certo pingüinzinho de geladeira cuja dona, Ju Roscito, nomeou-o de Línuquis.

Até aí tudo bem, até que vi o recém-batizado pingüinzinho! Achei muito bom, hehe!

Resolvi, então, criar umas imagens e disponibilizar aqui, na esperança de que alguém mais habilidoso possa criar imagens bacanas com o Línuquis!

Fiz alguns fundos de tela 1280×800 e algumas imagens mais experimentais. Aliás, tudo foi meio experimental…! Depois coloco outros ângulos dele (sim, ele tem olhos, mas não estão aparecendo).

Linuquis Recortado

Clique no Línuquis para ver as imagens!